Atlas

De: Ana Borralho & João Galante
Estreia: Maria Matos Teatro Municipal (Lisboa, Portugal / 2011)
Duração: 80"

Na Mitologia Grega Atlas foi aquele que foi condenado a carregar a Terra e os Céus aos ombros.
Atlas é uma performance que reúne em palco 100 pessoas de diferentes profissões.
Nesta obra, Ana Borralho e João Galante pretendem construir um atlas da organização social humana, uma representação dos seres humanos através da sua função na sociedade em que se inserem.

Um dos motores desta peça são as ideias do artista plástico Joseph Beuys: “a revolução somos nós” e “cada homem um artista”, imergindo a arte na vida pessoal e social, alargando assim a noção de escultura social.
Uma revolução silenciosa. Uma obra motivada pela crença de que a arte deve desempenhar um papel ativo na sociedade. Unir a arte e a vida.

© Vasco Célio / STILLS

A performance foi inspirada na frase mantra de uma canção infantil “Se um elefante incomoda muita gente, dois elefantes incomodam muito mais…”.
Durante a performance, as pessoas vão e vêm como numa passerele, em ondas, e á vez diz a frase, mas ao invés de “elefante” dizem a sua própria profissão. Ex: “Se 4 artistas plásticos incomodam muita gente, 5 artístas plásticos incomodam muito mais”.
A performance começa com uma pessoa e termina com 100. A primeira metade da frase é dita apenas pela pessoa que entra e a segunda metade da frase é dita também pelo coro das pessoas que já estão no palco.


Performers: 100 pessoas de diferentes profissões
Conceito, luz e direção artística: Ana Borralho & João Galante
Som: Coolgate
Aconselhamento luz: Thomas Walgrave
Colaboração artística: Fernando Ribeiro
Colaboração dramatúrgica: Rui Catalão
Colaboração artística e coordenação de grupo: André Uerba, Antonia Buresi, Catarina Gonçalves, Cátia Leitão, Tiago Gandra, (Marie Mignot na estreia em Lisboa)
Documentação vídeo e edição em Lisboa e Helsinquia: Helena Inverno e Veronica Castro (Volante)
Fotografia de cena em Lisboa: Vasco Célio

Produção executiva: Andrea Sozzi
Produção: casaBranca
Co-produção: Teatro Municipal Maria Matos
Residência artística: Atelier real, alkantara
Apoio: Junta Freguesia de Santos-o-Velho
Agradecimentos: Mark Deputter e aos performers que participaram em todas as apresentações de Atlas