A Linha ou O deserto já não é uma casa vazia

De: Ana Borralho, João Galante e Mónica Samões
Estreia: LAC – Laboratório de Actividades Criativas (Lagos, Portugal, 2009)
Duração: 40"

Uma história… Um local indeterminado, de pouca visibilidade, onde a paisagem se constrói sonoramente.
Dois narradores e um personagem que tudo observa e tudo questiona.
Um avião, um homem que é dono das estrelas, vozes que não se vêem, 10 dedos quando só precisamos de um para contar, uma cabeça cheia de perguntas e tudo, tudo cai do céu. Por favor, desenha-me uma ovelha!

A Linha ou O Deserto já não é uma Casa Vazia é um espaço visual e sonoro para crianças sobre a ideia de Infinito, de Fronteira e de Limite.
O trabalho teve como ponto de partida a vida e obra de Antoine de Saint-Exupéry e de Hugo Pratt, pilotos dos desertos, dos céus e dos mares que nos ensinam a pensar o silêncio e o espaço vazio. Inspirou-se também na personagem do “Miúdo”, obra dos irmãos Arkadi e Boris Strugatski.


Conceito e Direcção: Ana Borralho & João Galante e Mónica Samões
Performer: Mónica Samões
Espaço e Adereços: Eric Costa
Luz e Robots: David Palma
Musica e Som: Pedro Alçada
Produção: casaBranca
Co-Produção: Útero
Parceiros: LAC – Laboratório de Actividades Criativas, ZDB / Espaço Negócio
Apoio: ACCCA, O Rumo do Fumo, Atelier Real, JGM, Grande Cena, Citemor, Gráfica Mirandela, Quinta das Aves, Restaurante Pouso do Infante, TEL – Teatro Experimental de Lagos


Apresentado em:
(2009) LAC – Laboratório de Actividades Criativas, Lagos
Novembro

(2010) Espaço Negócio / ZDB, Lisboa
Fevereiro